O engodo do #HumanizaRedes (#HumanizaRedesGate)



Na semana passada o Governo lançou um tal de portal (e projeto) #HumanizaRedes para combater o desrespeito, crimes e violação de direitos na internet. De fato os crimes contra a honra, xenofobia, racismo, homofobia, apologia e incitação a crimes contra a vida e intolerância religiosa estavam passando dos limites há muito tempo e vem piorando desde as últimas eleições. Até aí tudo bem. Tudo lindo e maravilhoso, todos aplaudindo e achando bárbaro! Mas, esperem, nem tudo são flores...





Aviso:


Vai ter textão sim, e textão cheio de imagens no decorrer do texto, porém necessárias.

Observação importante: durante esse post foram incluídos vários links com um "backup" entre parênteses logo após os links originais. Isso porque, durante a redação deste, ao resgatar material guardado nos meus arquivos, percebi que várias páginas já foram removidas, então é prudente manter uma imagem fotográfica da URL pelo menos até a data de ontem (13/04/2015).

Decidi publicar esse post porque percebi que existia uma certa falta de conhecimento de muitas pessoas sobre militância virtual e crimes na internet e para justificar minha opinião contra a esse projeto de que ele é apenas mais uma arma petista.

A criação de uma militância virtual e agressiva pelo PT 


Antes de começar essa conversa é muito prudente que todos saibam um pouco sobre a história da militância virtual nas redes e que mesmo antes das eleições de 2010 (oficialmente em 2011) o PT criou o MAV, Militância em Ambiente Virtual (backup http://naofo.de/3t1g). A primeira "oficina" de "treinamento" foi realizada em 16/07. A rede é muito bem estruturada, com site (removido - veja imagens abaixo), perfil em redes como Twitter (backup http://naofo.de/3t1p) e Facebook (backup http://imgur.com/MDLpQnB) .


Alguns jornais noticiaram essa movimentação do PT:

Estranhamente (ou não), Rui Falcão, presidente do PT, removeu de seu site todas as publicações sobre o exército MAV mas, graças ao Google, temos o cache de algumas:



Em 2014 vários partidos decidiram aderir ao esquema de militância virtual com investimento pesado, só o PT investiu 50% a mais do que a frota tucana e a frota socialista, cerca de R$ 12 milhões declarados, quase metade dos R$ 30 milhões gastos.

(fonte: IstoÉ)

A militância virtual do PT sempre foi pesadíssima e agressiva em todos os sentidos. Usuários criavam várias contas fakes (ou "robôs") com objetivos diversos, dentre eles promover conteúdo petista como também hashtags no Twitter. Em março desse ano o próprio Governo admitiu uso de "robôs" durante as eleições (backup http://naofo.de/3t8r).

No Facebook a principal ação era derrubar páginas e perfis da oposição e adversários políticos, incluindo manuais de como executar essas ações através de denúncias em massa à rede. Mas somente em 2014 partidos declararam uma verdadeira guerra virtual (backup http://naofo.de/3t4l) nas redes para defender seus candidatos, porém as diretrizes pareciam bem distintas:

 (fonte: FolhaPress)

Para iniciar a guerrilha virtual, o PT teria contratando o jornalista Leandro Fortes (backup http://naofo.de/3t4u), especialista no assunto, que responde a vários processos por calúnia pela publicação de reportagens na Carta Capital que, claramente, apoia o PT. Uma publicação do Brasil247 revelou que Leandro Fortes é “um conhecido e experimentado especialista em difamação” (backup http://naofo.de/3t4v).

O próprio ex-presidente Lula, em vários momentos, convocou militantes a travarem uma "guerra". Muitos desses discursos estão disponíveis no Youtube. O alvo do PT em 2014 era engrossar sua militância digital com os quase 2 milhões de filiados ao partido além de 50 mil dirigentes e a "juventude". (backup http://naofo.de/3t55). Além dos militantes do MAV, o PT também lançou mão de alguns twitteiros, blogueiros e vloggers influentes, como o perfil Dilma Bolada (Jeferson Monteiro) que faz ataques cruéis aos adversários com posturas "nada humanas":




Se você quer saber como agem os militantes, um exemplo de atuação de um MAV fake/robô. Perceba que a mesma foto é usada em vários perfis fakes com os mesmos objetivos:




Os militantes do MAV passam o dia monitorando palavras-chave nas redes para atacarem opositores e lançarem toda a sorte de ofensas, além de promoverem hashtags pró-PT. Eles atacam mediante um único tweet que alguém publique contra o PT. Apenas um exemplo, recentemente usuários me acusaram de ser fascista de direita que defendia golpe e intervenção militar e os desafiei a me mostrarwm qualquer conteúdo publicado onde eu havia afirmado qualquer uma dessas coisas. Lógico que não encontraram porque não existe. Eles lançam acusações a esmo com o objetivo de provocar desde que você seja qualquer contra o PT.

Óbvio que existem militantes da oposição mas, no Twitter desde 2009, o que vejo é apenas uma ação de vingança e reação aos ataques iniciais do PT. Não que eu justifique essa baixaria toda.

PT e Governo petista segregando brasileiros e Brasil


Não é de hoje que a postura, tanto do PT como do Governo (petista), é a de plantar uma verdadeira guerra entre brancos e negros, ricos e pobres, sul/sudeste e norte/nordeste. A presidente Dilma, por duas vezes, chegou a colocar índios, negros e negras em outra "categoria" fora de homens e mulheres, além de se lançar como a candidata "do Nordeste".

 
 
 

Coincidência ou não, no mesmo dia do lançamento do portal #HumanizaRedes, o PT lançou nova campanha de veiculação nacional na TV em que reforça que as pessoas que são contra o PT seria porque o partido governa para pobres e negros. Nessas campanhas o PT alega que existe um "ódio" contra partido e que "tem gente que vê motivos para odiar o PT" por "colocarem negros e pobres nas faculdades, nos aviões, na posse de seus direitos" e alega que "quem é contra tudo isso acha que pode odiar o PT".






E se vocês acham que é pouco, vejam essa pequena seleção de publicações do PT em sua página oficial no Facebook:


Ou esse adesivo distribuído durante a campanha presidencial de 2014 no centro do Rio de Janeiro:


Tanto Safernet como a Polícia Federal já recebiam denúncias de crimes na internet


A Safernet Brasil é uma organização não governamental fundada em 2005 que atua recebendo denúncias de crimes na internet contra direitos humanos operando em parceria com Ministério Público Federal:



A Polícia Federal também recebe denúncias online porém relacionadas apenas com alguns crimes específicos de sua alçada:


Percebam que as denúncias online do #HumanizaRedes são as mesmas que eram disponibilizadas pelos órgãos acima:


Detalhe: diferente da Safernet e da Polícia Federal, o #HumanizaRedes NÃO fornece protocolo de registro de denúncia, podem testar:

A iniciativa "isenta" e apartidária, só que não


O perfil do Twitter do projeto tem insistido que não é partidário:


Mas quem o perfil segue? Militantes petistas e da base aliada, praticamente uma "onda vermelha": Brasil247, Revista Forum, Xico Sá, Pablo Villaça, Laerte, Sakamoto, Emir, Cynara, Nassif, Carta Capital, PT, Jornalismo Wando, Dilma Bolada (um poço de ataques e intolerância), além de vários outros perfis de jornalistas, políticos, ativistas e ativistas petistas ou com avatar/capa petista, nenhum da direita "coxinha", "reaça", tucano/psdbista. Um usuário conseguiu fazer essa amostra:


E como ninguém é de ferro, algumas pomoções de eventos partidários ou de políticas defendidas pelo PT:



Além disso nos causa no mínimo estranheza a relacionar esse projeto com o Parlatur, conforme publicação do D.O.U., Diário Oficial da União. Se você não entendeu, pesquise sobre Parlatur e Foro de São Paulo.

A logomarca do projeto: um "detalhe" interessante


Nesse final de semana alguns internautas perceberam uma semelhança absurda entre a logomarca da campanha e a ilustração de um livro.




Depois de muitos questionamentos, a #HumanizaRedes decidiu esclarecer através de nota, mas que de esclarecimento não tem nada, a seguir a reprodução da publicação:
A logomarca do Humaniza Redes – Compartilhe o Respeito foi desenvolvida pela agência Leo Burnett Tailor Made, responsável pela conta da Secom, conforme apontado no Portal da Transparência. A agência Leo Burnett ganhou licitação para prestar diversos tipos de serviços ao governo federal. O valor do serviço é equivalente ao contrato todo e não somente para a criação de um logotipo. O Humaniza Redes esclarece que não há plágio, visto que a imagem é encontrada como royalties free, no banco público Getty Images
Mais bizarro é que a imagem parece não ter sido "criada" pela agência, já que ela já existia em um banco de imagens conforme explicado na própria nota:


Os gastos do Governo em 2015 com a agência Leo Burnett podem ser vistos nos links a seguir porém, como sempre, nada é transparente o suficiente porque empregam uma série de códigos, processos e números que não nos dizem nada:
  • Janeiro/2015
  • Fevereiro/2015
  • Março/2015
  • Abril/2015 (até 13/04)
  • Gastos Diretos em 2015 (de 13/01 a 26/02/215)
    (para chegar até aqui, clique aqui, depois pesquise por "Leo Burnett", clique no único link com CNPJ e razão social da Leo Burnett com o valor de R$ 6.647.817,31, selecione o único link "Outras Despesas Correntes/Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica", selecione o único link "PRESIDENCIA DA REPUBLICA/PRESIDENCIA DA REPUBLICA/SECRETARIA DE COMUNICACAO SOCIAL/PR e pronto, todos as notas estão listadas e você poderá consultar uma a uma conforme o link desse item) 

Total de despesas até o momento: R$ 17.314.483,31

Questionamentos


Por que um Governo, que pregou tanto ódio com ataques através de uma verdadeira guerrilha do seu partido (PT), quer "humanizar" redes numa postura totalmente completamente contrária até então?

Por que um Governo e PT tem tanta necessidade em reforçar as diferenças existentes e alegar que "só governam para pobres, negros e nordestinos" como se "a elite", os ricos, brancos e oriundos do sul e nordeste do Brasil odiassem seus desiguais e o PT por isso?

Por que o Governo lança um projeto como "novo" sendo que ele existe há 10 anos? Não seria mais adequado promover o serviço que tanto a Safernet e a Polícia Federal já disponibilizam e reforçar seu trabalho que já é realizado com bastante experiência e aprimoramento ao longo desses anos?

Por que a iniciativa que se diz do Governo e não partidária não segue perfis que são opositores do PT?

Quanto custou esse "projeto"? Não seria mais econômico investir recursos em ferramentas que já estão disponíveis há anos (Safernet e PT)? Como saberemos com total transparência quanto foi gasto nesse projeto? Já sabemos que a logomarca só pode ter custado no máximo R$ 699,00 (que é o preço máximo para compra no site conforme visto anteriormente), para onde está indo nosso dinheiro? Com tantos escândalos de propina, como podemos ter certeza de que esse não é mais um retrabalho sobre algo que já existia com o objetivo de desvio de dinheiro público?

Conclusões


Na cabeça de vários internautas, somente uma ideia: é contraditório o Governo lançar uma campanha de humanização de redes, mantendo um perfil intolerante, agressivo e ofensivo como o Da Dilma Bolada, por exemplo, além de uma militância ofensiva criada pelo próprio partido. Beira o ridículo a iniciativa de humanização quando o próprio partido mantém um exército ativo denegrindo seus opositores com as maiores ofensas e crimes contra a honra dos mesmos. Em setembro o candidato Aécio Neves chegou a entrar com pedido de liminar em  ação contra tuiteiros que cometeram graves ofensas conta sua honra.

Se esse #HumanizaRedes fosse criado muitos antes eu iria achar válido porque sempre usei os recursos disponibilizados pela Safernet e Polícia Federal mas, na minha opinião, esse "projeto" é só uma "capa" com cara do Governo PT do que já existia há 10 anos, ou seja, apenas uma ferramenta de jogo de cena para a militância da base aliada, intimidação dos opositores, fiscalização e controle, considerando o engodo o Marco Civil e a regulação de mídia. Não precisamos de um sistema controlado diretamente pelo Governo (muito menos por um partido) quando sempre existiu a Safernet e PF para tais denúncias, sem ocorrer interferência direta.
 
A iniciativa é totalmente  governista e, mais preocupante, do PT, ou seja, partidária. O povo não ganha nada com isso, pessoas que se sentem ofendidas ou vítimas de crimes podem procurar a Safernet e a Polícia Federal como vinham fazendo, sem passar pelo crivo do Governo e do PT. Quem ganha são os militantes e ativistas virtuais da base aliada, que são os únicos que estão comemorando o projeto. Ao que tudo indica, o conceito governista sobre direitos humanos está limitado ao ambiente virtual onde proliferam manifestações de repúdio à Dilma e ao PT.

E qual será nosso futuro? Tavez essa lei aprovada recentemente pela Rússia.


Em tempo: antes de fechar esse post, o site "Reaçonaria" publicou algo interessante sobre esse mesmo assunto, sugiro a leitura.



Os comentários estão fechados para todos os posts deste blog.

Publicidade

Época Cosméticos_Beauty OFF

Publicidade

Últimas publicações

Publicidade

Leia também

Minhas contribuições em outras publicações

Tecnologia do Blogger.

Facebook

Meu Spotify (Vida de DJ)

Publicidade

Publicidade

Estatísticas

DMCA.com Protection Status

I heart FeedBurner