O kibe nosso de cada dia



Diz a lenda que "kibar", mais um verbo especifico nascido nos meios internéticos que significa copiar ou plagiar, é derivado do blog do "Kibe Loco" de Antonio Tabet, famoso entre os blogueiros por publicar conteúdo de outros sites sem citar a fonte, assumindo a autoria como se fosse própria. Esse termo tomou proporções dantescas com o advento das redes sociais onde tudo é mais acessível e se multiplica com maior intensidade e velocidade.

A internet possibilitou realidades que ainda não encontraram enquadramento jurídico adequado para cada caso e a legislação e a burocrática justiça brasileira não conseguiram acompanhar a velocidade da internet e, principalmente, das redes sociais. Tudo no Brasil é muito difícil, burocrático, demorado e caro, portanto criou-se uma cultura de não fazer valer seus direitos. E com isso, alguns argumentos falaciosos como "caiu na rede é peixe" ou "internet é terra de ninguém". Mas apesar de não existirem leis específicas para todos os casos que ocorram dentro do ambiente cibernético, a maioria esmagadora das leis pode sim, e é, aplicada nos meios digitais.

Colecione pessoas



Colecione pessoas...
Colecione pessoas chatas, problemáticas, esquecidas.
Colecione pessoas que chegam atrasadas, que perdem compromissos, que se esquecem de datas importantes. Colecione pessoas que se esquecem dos amigos, dos parentes, da hora e até da própria vida.

Publicidade

Época Cosméticos_Beauty OFF

Publicidade

Últimas publicações

Publicidade

Leia também

Minhas contribuições em outras publicações

Tecnologia do Blogger.

Facebook

Meu Spotify (Vida de DJ)

Publicidade

Publicidade

Estatísticas

DMCA.com Protection Status

I heart FeedBurner