O lobo que existe dentro dele



Cego com a luz do seus olhos ardendo em chamas me devorando. Faminto, aguardando o momento do ataque, enquanto observo sua sombra espreitando atrás das portas.

Reconheço a marca na sua pele agora destacada pela luz alva da lua brilhando na sua pele enquanto ele sorrateiramente caminha pela casa farejando sendo orientado pelo odor do meu desejo.

Apenas uma silhueta negra na calada de mais uma noite vadia que, mesmo agitada e ansiosa, hesita, espreita, respira, transpira. Mesmo assim, selvagem, não perde sua elegância enquanto desliza suavemente pelo corredor.


Entalhes na madeira



O mundo é feito de escolhas, mas às vezes a gente não consegue escolher. A gente acha que tem controle sobre a situação mas isso é um engodo. De vez em quando você se enxerga dentro de determinado momento e quando pensa em tomar uma atitude já é tarde demais, você está tão  envolvido numa história que não tem para onde correr nem como voltar pra trás.

 

É namoro ou amizade?



Relações humanas são altamente complexas. Por mais que os humanos sigam determinados padrões de comportamento a gente nunca sabe o que se passa dentro de cada um deles.

Há ciências que estudam tudo, desde a voz até sinais físicos emitidos pelo corpo humano como forma de decifrar as mensagens que ele tenta omitir.

Mas tem uma sinal que não tem como ser dúbio: quando a pessoa está interessada em alguém ou não.

 

Ninguém



Ninguém... ninguém lhe disse que a vida seria dura e que cada caminhar seria árduo, cada batalha seria penosa e mortal.

Ninguém lhe disse que as pessoas se esconderiam atrás de mentiras e arrancariam de você todas as suas preciosas verdades ocultas.

Ninguém lhe disse que seria fácil manter-se ética, leal e fiel e que muitas vezes esfregariam debaixo das tuas fuças todas as tentações do universo na tentativa de prostituir sua conduta.

 

A sua dor



Olá, amigo.

Sim: amigo. Porque eu continuo sendo aquela que insistia em ser sua amiga porque um dia olhou para você e te achou especial. Aquela que, apesar de falar da sua vida sem pudores ou restrições, escolhe a dedo as pessoas que irão fazer parte da vida dela.

Você era apenas um "username" e um "avatar". Aliás, nem avatar você tinha. Não tinha avatar, não tinha nome, não tinha descrição, não tinha nada. Era apenas uma identidade digital sem identidade. Uma dentre milhares de outras dentro do meu mundo, de centenas de milhões dentro do mundo todo de outras centenas de milhões de pessoas. Mas com o tempo você também passou a fazer parte do meu mundo.


Outubro Rosa: abrace essa campanha #OutubroRosa



O Outubro Rosa começou nos Estados Unidos onde vários estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e mamografia nos meses de outubro tornando esse mês como o de combate ao câncer de mama. Hoje é comemorado em todo o mundo, todos os anos, no mês de outubro. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama.  

 

Vem



Vem...

Vem e me rouba
Beija minha boca

Minha voz rouca
Uma noite é pouca

Diz que sou louca
Tira minha roupa

Olha para mim
E diz que não me ama mais...







Os comentários estão fechados para todos os posts deste blog.

Programa



- "E o que você faz?", perguntei curiosa e interessada.
- "Er... faço... programa...", ele respondeu hesitando e secamente.
- "Cool! E você programa em que?",  ingenuamente quis saber, insistindo no assunto.
- "Não... sou garoto de programa..."

Greg e sua gang



O ônibus estacionou em frente à pousada vizinha. No meio do burburinho juvenil em contraste com com nosso grupo de meninas melancólicas naquela tarde ensolarada e quente, ele se destacou. Calça jeans, camiseta branca básica, jaqueta de couro. Olhei em direção a ele franzindo a testa por causa do sol forte e aparando a mão sobre meus olhos e questionei, quase que sussurrando às minhas amigas: "mas por que diabos alguém estaria usando usando jaqueta de couro com esse calor infernal?". Ele parou, olhou para trás em minha direção e sorriu.

Relacionamentos virtuais




Em 2010 uma vez uma pessoa muito especial e querida para mim me perguntou: "Será que o afeto virtual é dissociado do afeto real? Será ele um preflexo, um prolongamento ou apenas uma quimera?". Respondi que minha experiência com a grande teia nos últimos 18 anos me demonstrou que não, ambos podem caminhar juntos e o "afeto virtual" pode vir a se tornar tão ou mais verdadeiro do que um "afeto real".

 

Oi, estou sendo ignorada...



Você manda uma mensagem. O status da pessoa diz que ela está online, ela visualiza, não lê, não responde. Mas ela está lá, conversando com outras pessoas, mas não te responde. Você não sabe o que se passa pela cabeça dela porque, afinal de contas, ela não te diz absolutamente nada. Então você entra num ciclo esquizofrênico, especulativo e conspiratório sobre infinitas possibilidades de o porque raios a pessoa não pode simplesmente dizer um "sim", um "não" ou pelo menos um "já te respondo mais tarde", "estou ocupado(a)" ou até um "não sei o que te dizer agora ou "ok". Você chora, sente raiva, medo, insegurança, angústia, um carrossel de emoções alternando entre amá-la ou odiá-la... responda a essa maldita mensagem!

 

Tenho o fogo dentro de mim



"Chamamos de legais os corações que não têm cicatrizes para mostrar, os que nunca se abalam ou que arriscam virar o jogo. Chamamos de bobos os que tem que dançar na fogueira, que arriscam a dor e a vergonha, que sempre vem e se ferem. Chamamos de fortes aqueles que encaram o mundo sozinhos, que parecem se dar bem sozinhos, aqueles que nunca cairão. Chamamos de fracos os que não sabem resistir à mínima chance de o amor existir e por isso abandonam tudo."


O problema não é você...



A maioria esmagadora dos problemas de relacionamento seria resolvida de forma bem mais simples, ou não talvez nem existiria, se as pessoas fossem realmente sinceras consigo e com os outros. Mas a verdade é que praticar o "sincericídio" não é uma das mais fáceis tarefas. Além de não saber qual será a reação da pessoa que pode não estar preparada para ouvir a verdade, ao invés de você ser rotulada como uma pessoa sincera e honesta, é bem capaz de você se passar por uma pessoa fria e insensível. O ideal seria que, ao conhecer uma pessoa, você externasse os seus mais primitivos sentimentos e pensamentos ao invés de criar uma realidade paralela e fazer com que a pessoa crie expectativas equivocadas baseadas nas mensagens que você está tentando passar que, geralmente, não é aquilo que de verdade você quer dizer. Mas nada pior do que tentar se livrar da pessoa da forma mais tosca possível, então vamos rever alguns bordões mais utilizados.


 

Decretei minha liberdade, carta para quem não quer me ler



Na ausência da minha lucidez, questionei se você era minha doença ou a cura e agora, recuperada a consciência e a razão, penso que era apenas meu vício.

Me liberto plenamente de ti, da tua prisão, como um viciado se liberta da droga e abro todos as portas do meu coração, apenas deixando você partir para bem longe de mim. Vá. Vá e não volte mais, mantendo em mim o desejo do seu retorno e escancarando todas as portas e janelas ao mesmo tempo em que abro meu caderno de anotações e apago todas as mensagens que um dia escrevi

O kibe nosso de cada dia



Diz a lenda que "kibar", mais um verbo especifico nascido nos meios internéticos que significa copiar ou plagiar, é derivado do blog do "Kibe Loco" de Antonio Tabet, famoso entre os blogueiros por publicar conteúdo de outros sites sem citar a fonte, assumindo a autoria como se fosse própria. Esse termo tomou proporções dantescas com o advento das redes sociais onde tudo é mais acessível e se multiplica com maior intensidade e velocidade.

A internet possibilitou realidades que ainda não encontraram enquadramento jurídico adequado para cada caso e a legislação e a burocrática justiça brasileira não conseguiram acompanhar a velocidade da internet e, principalmente, das redes sociais. Tudo no Brasil é muito difícil, burocrático, demorado e caro, portanto criou-se uma cultura de não fazer valer seus direitos. E com isso, alguns argumentos falaciosos como "caiu na rede é peixe" ou "internet é terra de ninguém". Mas apesar de não existirem leis específicas para todos os casos que ocorram dentro do ambiente cibernético, a maioria esmagadora das leis pode sim, e é, aplicada nos meios digitais.

Colecione pessoas



Colecione pessoas...
Colecione pessoas chatas, problemáticas, esquecidas.
Colecione pessoas que chegam atrasadas, que perdem compromissos, que se esquecem de datas importantes. Colecione pessoas que se esquecem dos amigos, dos parentes, da hora e até da própria vida.

Aborto: o filho que sempre existiu mas que eu nunca vi nascer



Eu sempre quis ser mãe. Sempre. Eu queria ver minha barriga crescendo, fazer trezentas fotos dela, escrever com caneta colorida e todo aquele ritual brega que as grávidas fazem. Eu queria conversar com meu bebê e colocar fones de ouvido na barriga para que ele pudesse escutar, certamente começaria com alguns clássicos eruditos mas sem deixar de lado o Sisters of Mercy, Kraftwerk e Elvis. Eu sempre quis adotar também, de preferência aquelas crianças mais preteridas: negras, do sexo masculino e de idade mais avançada. Mas independente disso eu sonhava com a enorme barriga de grávida. Ao ver uma na rua eu não conseguia desviar meus olhos dela e, imediatamente, construia uma imagem mental de como eu ficaria com aquele barrigão lindo que eu iria fazer questão de exibir. Dizem por aí que há três coisas que não sentem frio: polar, pinguim e periguete, mas arriscaria uma quarta, grávida que quer mostrar o barrigão, tipo eu. Mas, por algum motivo, Deus e o Universo talvez não quisessem que fosse assim.

 

Perdão, amigos: o erro



Nasci para fazer caridade. Desde ouvir e dar conselhos até ser voluntária em causas, tendo que pegar pesado no batente. Não me importo em ajudar e não espero retribuição, mas não admito ser injustiçado e muito menos ingratidão. Você não precisa me devolver algo que eu faça por você mas, por favor, saiba reconhecer e jamais diga que eu não fiz anda quando fiz, isso é motivo para eu cortar relações, seja com quem for, fiz isso com meu próprio pai, porque eu não faria com alguém que  laços fortes comigo? Talvez por essas qualidades positivas as pessoas se aproximem tanto e confiem tanto em mim.

Perdão, amigos: o desabafo



Se ouvisse as opiniões dos outros, hoje eu deveria ser uma pessoa muito mais reservada e desconfiada de tudo e de todos. Porém o mais importante para mim é ser quem eu sou, ser autêntica e fiel aos meus princípios e sentimentos, agir mais com o coração do que com a cabeça, mesmo que algumas pessoas me achem muito mais coerente e mais racional do que emocional. Talvez essa coerência venha justamente do fato de eu ser eu mesma.

Sobre falsidade



Falsidade é alteração propositada da realidade. É mentira, calúnia. Falsidade é
disposição para enganar. É perfídia, falsificação, fraude.

Vampiros da vida real



Durante dias eu relutei em externar o que eu estava sentindo, mas minha sinceridade extrapola todos os limites sobre os quais eu ainda ache que tenho alguma soberania, porque eu sempre acho que sou dona das minhas emoções e sentimentos, quando na verdade são eles que me escravizam, me controlam e me denunciam. Minha preocupação era a de que parecesse uma "tentativa de me explicar", principalmente porque estes dias li uma frase que me marcou muito: "quem pede muitas desculpas, é porque tem culpa". A intenção não é a de tentar me justificar, mas de colocar para fora esse sentimento que está me corroendo por dentro, cujo nome é ingratidão.

Meu dia de "hacker"



Já mencionei  em diversos locais que sou internauta desde meados de 1997 onde eu "chateava" via BBS e que tinha uma vida aparentemente normal até o início de 1999. Era casada, trabalhava em uma grande empresa de telecomunicações em São Paulo e meu marido pertencia à Diretoria de um banco internacional. Assim como meu ele, sempre fui workholic, provavelmente eu mais do que ele pois eu o levei a esse caminho. Talvez este tenha sido um dos motivos de nossos maiores problemas conjugais. Nessa época a internet era mais do que diversão e amor à tecnologia, era uma fuga. Acabei me envolvendo demais com o mundo virtual, fiz amigos e inimigos.

 

O primeiro amor, a primeira dor.



Quase sempre a vida nos prega peças, mas e quando as pessoas nas quais confiamos nos pregam essa peças. E quando essas pessoas que tanto amamos traem nosso confiança? E quando essas pessoas que tanto amamos perdem a confiança em nós? Esse é um capítulo de amor, de lealdade, de confiança, de mentiras, de armações e de decepções. É sobre limites humanos e sobre injustiças. É um capítulo da descoberta do amor e da dor. Um capítulo cuja personagem se lembra dele até hoje, detalhe por detalhe, e ainda vê as cenas, as roupas, os rostos e os gestos. Um capítulo para jamais ser esquecido. Parece cenas de filmes de Sessão da Tarde, mas foi mais real do que as pessoas posam imaginar, assim como todo o leque de sentimentos envolvidos. É clichê como toda história bonita com final infeliz. É longa e simples como aconteceu.

 

Férias num hospital psiquiátrico.



Para ela a felicidade se resumia a dois pontos simples: trabalho e família. Trabalhava às vezes até 18h por dia e levava serviço para casa porque, além de viciada em trabalho, batalhava por uma promoção através do reconhecimento do seu trabalho. Sua vida era trabalho, respirava trabalho, era seu combustível diário. Dinheiro não era importante, era consequência. Seu ideal de vida financeira saudável era morar em uma casa confortável e espaçosa na qual pudesse receber os amigos, ter cachorros e onde seus futuros filhos pudessem ter liberdade, e não ter que se preocupar se teria condições de sanar as despesas mensais ou não. Até aquele momento, tudo caminhava para a realização de seus sonhos. A vida familiar e afetiva não ia muito bem, mas isso é assunto para outro capítulo.

Pirâmides financeiras: MMN, STC, "Google me paga R$ 300 por hora", TelexFree e todas as arapucas.



Durante toda a minha vida eu via ou recebia anúncios de como ter uma renda extra trabalhando pela internet. Alguns eram um tanto exagerados, as pessoas da foto eram sempre estrangeiras posando para fotos ao lado de mansões, carrões e iates. Para começo de conversa, eu achava aquilo tudo muito "over" e pensava comigo mesmo o porquê dessas pessoas decidirem repartir o segredo de suas fortunas. Não fazia o menor sentido, nunca fez. Então em 2008 eu decidi investigar para poder escrever sobre o assunto com propriedade.

Essas peças que a vida prega a todos...



... Ou "I can't take no love to Texas this time, take me home..."


Não havia nada com o que se preocupar naquela noite, a não ser procurar se divertir ao máximo que pudesse e isso ela sabia realizar com maestria. Sentia-se livre e leve, isenta de qualquer tipo de preocupação que ela havia deixado nas 18h daquela sexta-feira.


Publicidade

Época Cosméticos_Beauty OFF

Publicidade

Últimas publicações

Publicidade

Leia também

Minhas contribuições em outras publicações

Tecnologia do Blogger.

Facebook

Meu Spotify (Vida de DJ)

Publicidade

Arquivo

Publicidade

Estatísticas

DMCA.com Protection Status

I heart FeedBurner